Ração ou alimentação natural: qual a melhor opção para os pets

Professora de Medicina Veterinária do UniCuritiba fala sobre a importância da nutrição para a saúde de cães e gatos

Manter uma alimentação saudável e equilibrada é fundamental para a saúde dos pets, mas nem todos os tutores têm consciência disso.

Uma pesquisa realizada pela Mars Petcare e divulgada pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária revela que 40% das pessoas não sabem se seus cães ou gatos estão com o peso ideal e quase 25% admitem que oferecem alimentos inadequados. Muitos tutores sequer sabem informar, durante a consulta com o médico veterinário, o nome do alimento que fornecem aos seus animais.

Negligenciar os cuidados relacionados à nutrição é um risco à saúde. O alerta é da médica veterinária Ana Elisa Arruda Rocha, professora do curso de Medicina Veterinária do UniCuritiba – instituição da Ânima Educação, o maior e mais completo ecossistema de ensino de qualidade do país.

“Muitos alimentos que nós ingerimos são inadequados para os pets. Outros são tóxicos e não devem ser oferecidos sob circunstância alguma. Para evitar problemas devemos oferecer alimentação equilibrada, segura e nas quantidades recomendadas para cada indivíduo”, ensina a profissional.

Alguns exemplos de alimentos contraindicados são: chocolate, cebola, uva, pães, massas, frituras, queijos e açúcar. Ossos de frango cozidos ou assados, apesar de não serem tóxicos, também oferecem risco, já que podem se quebrar em lascas pontiagudas e causar acidentes graves.

Sempre que houver suspeita de intoxicação alimentar ou ingestão de ossos inadequados, a orientação é procurar um médico veterinário imediatamente para que o tratamento seja instituído a tempo.

Em geral, os tutores devem priorizar boas fontes nutricionais na hora de alimentar seus pets, lembrando que alimentação natural formulada para pets e comida caseira de humanos são coisas completamente diferentes.

O que é melhor: ração ou alimentação natural?

As opiniões se dividem entre ração e alimentação natural, mas com os devidos cuidados ambas podem ser utilizadas. De acordo com a médica veterinária Ana Elisa Arruda Rocha, seja qual for a opção, é preciso levar em conta fatores como idade, porte, peso e estilo de vida do pet.

Outro detalhe é: a quantidade diária de alimento deve ser dosada corretamente, sempre com orientação profissional. “Isso é importante para evitar que o pet fique desnutrido ou com sobrepeso, condições que podem levar ao desenvolvimento de várias outras doenças”, ensina a professora do UniCuritiba.

Sobre a escolha entre ração ou alimentação natural, Ana Elisa comenta: “Seria estranho para mim, como profissional da saúde, dizer que alimentos industrializados são a melhor opção em todos os casos. A ração é um alimento industrializado com ampla variedade de opções no mercado. De modo geral, espera-se que contenha todos os nutrientes que o pet precisa e seu fornecimento costuma ser mais prático para os tutores.”

Essa opção, no entanto, requer atenção. “Ao menor sinal de hipersensibilidade a esse tipo de alimento, recomendo que o médico veterinário seja informado. Animais com alergias de pele, inflamações repetidas de ouvido, coceira, fezes amolecidas, gases e vômitos frequentes precisam passar por uma avaliação diferenciada em relação à alimentação, assim como pacientes portadores de doenças autoimunes ou com histórico de neoplasias”, explica a professora.

A alimentação natural requer um planejamento maior, tanto financeiro quanto operacional e Ana Elisa reforça: “Como o próprio nome diz, é mais natural, saudável e muito palatável. Desde que planejada e acompanhada por profissional especializado em nutrição, é sempre a minha primeira indicação.”

Afinal, o que escolher?

Decidir entre ração ou alimentação natural depende de alguns fatores. A melhor alimentação, ressalta a médica veterinária, é aquela que atende as necessidades fisiológicas do animal e, ao mesmo tempo, é viável para o tutor.

“Invista em profissionais especializados e que tenham interesse real em relembrar conhecimentos de anatomia, fisiologia e comportamento alimentar de cada espécie, pois este diferencial será decisivo para garantir saúde e longevidade ao seu pet”, aconselha a professora do UniCuritiba.

Clínica-escola

Inaugurada recentemente, a Clínica-escola de Medicina Veterinária do UniCuritiba oferece atendimento clínico e cirúrgico a animais de pequeno porte. O serviço é aberto à comunidade, com consultas de segunda-feira a sexta-feira, em horário comercial. O agendamento deve ser feito pelo telefone (41) 99979-4767. A clínica fica no Campus Milton Vianna Filho, no bairro Rebouças (rua Chile, 1.678).

Sobre o UniCuritiba

Com mais de 70 anos de tradição e excelência, o UniCuritiba é uma instituição de referência para os paranaenses e reconhecido pelo MEC como uma das melhores instituições de ensino superior de Curitiba (PR). Destaca-se por ter um dos melhores cursos de Direito do país, com selo de qualidade OAB Recomenda em todas as suas edições, além de ser referência na área de Relações Internacionais.

Integrante do maior e mais inovador ecossistema de ensino de qualidade do Brasil, o Ecossistema Ânima, o UniCuritiba conta com mais de 70 opções de cursos de graduação em todas as áreas do conhecimento, além de cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado.

Possui uma estrutura completa e diferenciada, com mais de 60 laboratórios e professores mestres e doutores com vivência prática e longa experiência profissional. O UniCuritiba tem seu ensino focado na conexão com o mundo do trabalho e com as práticas mais atuais das profissões, estimulando o networking e as vivências multidisciplinares.

By Mirella Pasqual

Sou jornalista formada pela Universidade Positivo. Sou mãe do Benício e de três vira-latas, o Raj, o Thor e a Mia. Minha coluna fala sobre moda, empreendedorismo e saúde! Sejam muito bem-vindos 😊

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *