Iniciativa do UniCuritiba reúne estudantes voluntários no apoio a imigrantes e refugiados que desejam uma oportunidade no mercado de trabalho

Celebrado em 25 de março, o Dia Nacional da Comunidade Árabe fomenta importantes reflexões sobre os desafios de quem escolhe o Brasil para viver. Só no Paraná são mais de 120 mil imigrantes de diferentes nacionalidades, segundo dados do Centro Estadual de Informação para Migrantes, Refugiados e Apátridas (CEIM).

Além das barreiras do idioma, o ingresso no mercado de trabalho é uma das principais dificuldades. De acordo com a consultora nas áreas de Empreendedorismo e Recursos Humanos, Helaine Badia, a elaboração do currículo é o primeiro entrave. “Além de não dominar o português, os imigrantes não conhecem o formato de currículo utilizado no Brasil”, explica a professora da área de Gestão e Negócios do UniCuritiba – instituição que integra a Ânima Educação, um dos maiores ecossistema de ensino superior privado do país.

Para ajudar os imigrantes em busca de emprego, o UniCuritiba mantém, desde 2021, o projeto Connect. Entre outras atividades, os estudantes voluntários auxiliam imigrantes na tradução das experiências de trabalho e na criação de currículos nos moldes brasileiros. “Desta forma, o candidato mostra ao recrutador que, mesmo não tendo trabalhado no Brasil, ele consegue desenvolver as atividades exigidas”, diz Helaine, idealizadora do projeto.

O Connect já atendeu mais de 50 imigrantes com dificuldades de encontrar um emprego. A iniciativa é realizada em parceria com 15 instituições, entre empresas, ONGs e entidades internacionais como a Organização Internacional para as Migrações (OIM) – órgão intergovernamental das Nações Unidas voltado ao enfrentamento dos desafios relacionados às migrações humanas.

Pluralidade nas ações

Mais de 70 estudantes de diferentes cursos do UniCuritiba já se envolveram nas atividades do Connect, incluindo workshops sobre a elaboração de currículos, orientações sobre processos seletivos, locais onde procurar emprego de forma segura, particularidades do mercado de trabalho no Brasil e como se portar em uma entrevista de emprego. Os eventos são realizados em parceria com a OIM e a regional paranaense da Cáritas do Brasil.

Para auxiliar na produção de currículos em português, os voluntários se reúnem com os interessados (por zoom ou meet) e conversam individualmente com cada imigrante. Com base nas informações e nas orientações da coordenação do projeto, eles elaboram os currículos.

Outra frente de atuação do projeto é a identificação de empresas parceiras com interesse em acessar o banco de talentos imigrantes e encaminhamento dos candidatos para as vagas disponíveis. “Nosso objetivo é conscientizar as empresas sobre a importância da diversidade imigrante e cultural em seus ambientes de trabalho”, informa a professora.

Por iniciativa do Connect são realizadas ainda entrevistas com os imigrantes para alinhamento de perfil dos candidatos, prospecção de empresas interessadas em participar do programa, atualização do banco de currículos e capacitação para o desenvolvimento de competências profissionais.

Cartilha Trabalhista

Além dos atendimentos individualizados e dos workshops, o UniCuritiba atua em outras frentes para auxiliar imigrantes e refugiados. Um exemplo é publicação da Cartilha Trabalhista, resultado da parceria entre o projeto Connect e a Cátedra Sérgio Vieira de Mello. O documento auxilia no entendimento da comunidade imigrante sobre o mercado de trabalho brasileiro.

A primeira edição está disponível em quatro idiomas e traz dicas sobre como produzir um bom currículo em português, como se sair bem em processos seletivos, onde buscar emprego no Paraná e quais os direitos e deveres do trabalhador imigrante no Brasil. Para consultar ou fazer o download da cartilha basta acessar https://bit.ly/3hJVKGu

Como obter ajuda
Os imigrantes com dificuldades para conquistar um emprego no Paraná podem recorrer ao Connect pelo Instagram do projeto (@projeto.connect) e enviar uma mensagem no direct. Outra forma é mandar um e-mail com o assunto “Quero saber mais” para contato.projetoconnect@gmail.com.

Para ser contratado no Brasil é necessário ter o documento de identificação de acordo com a categoria migratória (Carteira de Registro Nacional Migratório – CRNM, antigo Registro Nacional do Estrangeiro), CPF e Carteira de Trabalho.

Protagonismo estudantil

A professora Helaine Badia lembra que não são apenas os estrangeiros que se beneficiam com essa iniciativa. Os estudantes também desenvolvem habilidades e têm a oportunidade de alinhar seu projeto de vida ao propósito de contribuir para um mundo melhor.

Geovana Pellegrini é uma das voluntárias. Para a estudante do 5º período do curso de Relações Internacionais do UniCuritiba, o projeto superou as expectativas. “Descobri uma realidade que eu não conhecia, entrei em contato com outras culturas e adquiri conhecimentos sobre a temática de imigração e trabalho” conta.

Como universitária e ingressante no mercado de trabalho, Geovana continua: “O projeto contribuiu para o meu desenvolvimento porque pude exercitar o protagonismo, trocar ideias com os times e colocar a mão na massa. Acima de tudo, foi transformador perceber como a união tem o poder de mudar a realidade e como as ações do projeto fazem a diferença na vida de quem precisa.”

A estudante do 5º período de Psicologia do UniCuritiba, Janaina Filippetto, também percebeu o impacto do Connect em sua formação. “Entrar em contato com realidades tão diferentes da minha, buscar informações de qualidade para instrumentalizar os imigrantes, participar dos processos de formação de outros alunos, redigir currículos e, particularmente, realizar os atendimentos favoreceram o amadurecimento e o ampliação da minha visão de mundo. Tudo isso foi desafiador, mas também compôs uma construção de habilidades que vou levar para a vida”.

Apoio permanente

O UniCuritiba mantém um trabalho permanente de apoio a imigrantes e refugiados por meio da Cátedra Sérgio Vieira de Mello e de um convênio de cooperação com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR).

Entre as iniciativas estão a edição de cartilhas, em diversos idiomas, sobre os direitos de estrangeiros que vivem no Brasil e um curso online e gratuito de língua portuguesa. As aulas são ministradas por estudantes e professores voluntários. As cartilhas estão disponíveis em https://linktr.ee/labri_unicuritiba, assim como o link de inscrições para o curso de português sempre que uma nova turma é aberta.

O Centro Universitário tem ainda uma parceria com o Vale do Pinhão e a Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação para oferecer treinamentos na área de gestão e marketing para refugiados que desejam empreender na região.

Sobre o UniCuritiba

Com mais de 70 anos de tradição e excelência, o UniCuritiba é uma instituição de referência para os paranaenses e reconhecido pelo MEC como uma das melhores instituições de ensino superior de Curitiba (PR). Destaca-se por ter um dos melhores cursos de Direito do país, com selo de qualidade OAB Recomenda em todas as suas edições, além de ser referência na área de Relações Internacionais.

Integrante do maior e mais inovador ecossistema de qualidade do Brasil, o Ecossistema Ânima, o UniCuritiba conta com mais de 40 opções de cursos de graduação em todas as áreas do conhecimento, além de cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado.



Possui uma estrutura completa e diferenciada, com mais de 60 laboratórios e professores mestres e doutores com vivência prática e longa experiência profissional. O UniCuritiba tem seu ensino focado na conexão com o mundo do trabalho e com as práticas mais atuais das profissões, estimulando o networking e as vivências multidisciplinares.

By Mirella Pasqual

Sou jornalista formada pela Universidade Positivo. Sou mãe do Benício e de três vira-latas, o Raj, o Thor e a Mia. Minha coluna fala sobre moda, empreendedorismo e saúde! Sejam muito bem-vindos 😊

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *