Município de Colombo recebe atividades culturais gratuitas

Ações acontecem na Biblioteca Pública, no Centro de Artes e Esportes e resgatam escritoras que foram ‘esquecidas’ dos registros literários

O município de Colombo vai receber duas atividades culturais gratuitas e abertas a todos os interessados. O objetivo é estimular a leitura e fazer com que os moradores e visitantes conheçam algumas das escritoras brasileiras ‘anônimas’, que foram ‘propositalmente esquecidas’ dos registros literários no período que compreende os séculos XVIII e XX.

A primeira atividade é um Workshop de Minicontos, que será realizado no dia 13 de maio (segunda), das 13h30 às 16h30, na Biblioteca Pública Municipal Rui Barbosa e será coordenado pela escritora Glória Kirinus; pós-doutora em Sociologia (Teorias do Imaginário) pela Universidade Sorbonne, de Paris.

No dia 20 de maio (segunda) acontece o Ciclo de Palestras Vozes Femininas, das 19h30 às 20h30, no Centro de Artes e Esportes Unificados Daniel de Jesus Rosa. O evento será conduzido pelas escritoras Luci Collin [que tem mais de 20 livros publicados], Glória Kirinus e Luciana Melamed; soprano, mestre em Canto pela Universidade Mozarteum Salzburg, na Áustria, e integrante do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba.

Em busca de igualdade

As ações integram o projeto cultural Anônimas; que pretende resgatar esse atraso na igualdade de gênero e debater os motivos pelos quais as mulheres tinham que escrever às escondidas e seus textos necessitavam de um endosso masculino para conquistar reconhecimento ou legitimidade de suas produções, nos séculos anteriores.

O que parece ser um absurdo atualmente já foi realidade até poucos anos, quando as mulheres não eram estimuladas a escrever, recebiam críticas conservadoras e seus textos foram subtraídos da memória cultural e das análises literárias.

O objetivo do projeto, segundo a idealizadora da proposta, mediadora de leitura e mestranda em Educação pela UFPR, Carla Viccini “é revisitar o passado, homenagear essas escritoras que lutavam bravamente por espaço na literatura e foram ‘propositalmente esquecidas’ de serem incluídas nos registros históricos”.

Interatividade

Entre os assuntos que serão debatidos no Workshop de Minicontos estão a valorização das narrativas curtas na contemporaneidade; o potencial imaginativo; a análise reflexiva e indagativa sobre tempo, espaço, personagens e enredo; as considerações sobre o máximo oculto nas mínimas inscrições, entre outros temas.

Enquanto isso, o Ciclo de Palestras Vozes Femininas tem como foco um debate com o público sobre a representatividade feminina nas artes e a pouca evidência histórica – que foi e ainda continua sendo – destinada a elas.

Quem são essas escritoras anônimas?

Para que o público conheça um pouco mais sobre essas autoras anônimas, Carla Viccini fez um breve resumo biográfico dessas mulheres.

Narcisa Amália: escreveu Nebulosas e não faltam elogios à sua poesia. Ela é uma heroína, fez críticas sociais e denunciou injustiças. Foi nomeada por D. Pedro II como a “Musa dos Livros” e, de repente, foi ‘esquecida’ na literatura.

Maria Firmina dos Reis: é autora de Úrsula, considerado o primeiro romance de autoria negra e feminina do Brasil. De cunho antiescravista, a obra tem uma perspectiva própria e autêntica, de importância inigualável.

Júlia Lopes: é autora de vários livros, escreveu sobre temáticas realistas e naturalistas. Apesar de fazer parte das reuniões para abertura da Academia Brasileira de Letras, não pode ocupar uma cadeira, pois era mulher.

Amélia de Oliveira: ficou conhecida como a eterna noiva de Olavo Bilac e irmã de Alberto de Oliveira. Sua obra foi publicada postumamente em 1959.

Francisca Julia da Silva: destacou-se como poeta parnasiana, tendo a autoria de um poema seu atribuída a outro escritor do período, pois não acreditaram ser de uma mulher.

Escritoras paranaenses esquecidas

Entre as escritoras paranaenses esquecidas entre os séculos XVIII e XX, destaque para Júlia da Costa – que foi considerada a primeira poeta do Estado –; Maria Nicolas, ‘a pesquisadora da alma das ruas’ e Laura Santos, que cantava a “glória de ter nascido poetisa”.

Já Mariana Coelho afirmou em um de seus textos: “Permitir, hoje, que a mulher permaneça amarrada ao deplorável poste da ignorância equivale a arriscá-la criminosamente à probabilidade de receber em compensação do seu mais nobre e espontâneo afeto o completo aniquilamento da alma – o que quer dizer a sua principal ruína”.

O projeto Anônimas foi aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura / PROFICE da Secretaria de Estado da Cultura do Governo do Estado do Paraná e tem apoio da Copel. A produção é de Cristiano Nagel e o projeto contempla diversas atividades culturais gratuitas em Colombo, Pinhais e Almirante Tamandaré. As ações estão em andamento, acontecem em dias, locais e horários específicos e seguem até o mês de julho de 2024.

Sobre

O que: Município de Colombo recebe duas atividades culturais em maio

Quando e onde: Dia 13/05, das 13h30 às 16h30, acontece o Workshop de Minicontos na Biblioteca Pública Municipal Rui Barbosa [Rua Zacarias de Paula Xavier, 407, Centro, Colombo-PR] coordenado por Glória Kirinus;

Dia 20/05, das 19h30 às 20h30, acontece o Ciclo de Palestras Vozes Femininas no Centro de Artes e Esportes Unificados Daniel de Jesus Rosa [Rua Manoel Vicente Machado, 40, Jd. Eucalipto, Colombo-PR] coordenado por Luci Collin, Glória Kirinus e Luciana Melamed

Quanto: Gratuito, direcionado às mulheres e a todos os interessados

Informações: Falar com Cristiano Nagel – tel. 41-99822-0699

By Mirella Pasqual

Sou jornalista formada pela Universidade Positivo. Sou mãe do Benício e de três vira-latas, o Raj, o Thor e a Mia. Minha coluna fala sobre moda, empreendedorismo e saúde! Sejam muito bem-vindos 😊

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *