Festas de fim de ano pedem atenção para os riscos de intoxicações alimentares

Nutricionista dá algumas dicas dos cuidados redobrados neste período para que as festas não se tornem emergências

Mais um ano está chegando ao fim e é o momento das grandes confraternizações, celebrações e reuniões com a família e amigos, mesas fartas e diversidade de alimentos.

Geralmente, com tantas opções de comidas, elas precisam ser preparadas com antecedência, muitas vezes 24 horas antes, principalmente quando se trata de Natal e Ano Novo. Mas, por trás de tantas opções, é preciso ficar atento às questões de saúde.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mostram que mais de 600 milhões de casos de intoxicações alimentares são registrados no mundo. Segundo o Ministério da Saúde, 13 mil pessoas por ano, sofrem intoxicações alimentares neste período. “Geralmente esses casos são registrados devido ao descuido no manuseio dos alimentos, em torno de 40% dessas situações são registradas com comidas cozidas em casa”, alertou a nutricionista credenciada da Paraná Clínicas, empresa do Grupo SulAmérica, Carolina Henequim (CRN-2804/PR).

E para que as festas não sejam interrompidas por emergências, a nutricionista alerta para alguns cuidados necessários desde o manuseio e preparação até a armazenagem das sobras. “Um dos maiores motivos da contaminação de alimentos se dá pela falta de armazenagem correta e refrigeração, já que expostos ao ambiente eles se tornam mais vulneráveis a contaminação e proliferação de bactérias”, ressalta.

Porém, não é apenas em casa que os cuidados devem ser redobrados. Quando a opção for por realizar as confraternizações em restaurantes, bares ou hotéis, é preciso ficar atento. “Em muitos lugares é possível visitar a cozinha do local. Nos que não são possíveis, é importante ver a coloração dos alimentos, sua textura e seu cheiro. O ideal é consumir alimentos cozidos, para que os riscos diminuam”, destacou Henequim.

As sobras também precisam de atenção na hora da armazenagem. “Um dos principais erros neste momento, é a mistura dos alimentos. Cada um deles, deve ser guardado de forma separada. O arroz, por exemplo, deve ter um recipiente e a carne outro, nada de colocar até três tipos de alimento em um mesmo recipiente. Outra dica importante, é fazer pequenas porções, congelar e descongelar somente quando toda aquela quantidade for utilizada”, finalizou a nutricionista credenciada da Paraná Clínicas, empresa do Grupo SulAmérica, Carolina Henequim.

Sobre a Paraná Clínicas

Fundada em 1970, a Paraná Clínicas é referência em planos de saúde empresariais e também atua na modalidade coletiva por adesão. Desde setembro de 2020, é operadora integrante da SulAmérica, o maior grupo segurador independente do Brasil. Carrega a missão de cuidar com excelência empresas e pessoas, oferecendo como diferencial os programas de saúde preventiva e promoção de qualidade de vida. Com uma infraestrutura moderna e planejada em uma rede interligada, a Paraná Clínicas conta com sete unidades próprias em Curitiba e Região Metropolitana, chamadas de Centros Integrados de Medicina: CIM Araucária; CIM CIC – 24h; CIM Fazenda Rio Grande; CIM Rio Branco do Sul; CIM São José dos Pinhais; CIM Unidade Infantil – 24h (ao lado do Hospital Santa Cruz) e CIM Água Verde – onde também operam o Hospital Dia, projetado para oferecer o que existe de mais moderno em procedimentos eletivos, e o Centro de Infusão, estruturado para atender com excelência os pacientes de oncologia, hematologia e reumatologia. Mais informações em www.paranaclinicas.com.br.

By Mirella Pasqual

Sou jornalista formada pela Universidade Positivo. Tenho quatro filhos, o Benício e três vira-latas, a Aika, o Raj e o Thor. Minha coluna fala sobre moda, empreendedorismo e saúde! Sejam muito bem-vindos 😊

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.