Falta interpretação de texto? Especialistas dão dicas para ensinar às crianças

Compreensão e interpretação de texto são habilidades que precisam ser ensinadas e treinadas ainda no Ensino Básico

“Falta amor no mundo, mas falta também interpretação de texto”, diz uma frase atribuída ao jornalista Leonardo Sakamoto que vive aparecendo por aí, nas redes sociais, seja qual for o assunto em questão. De história a aquecimento global, de política ao meme do dia, aparentemente as pessoas têm muita dificuldade para interpretar e compreender o que as outras pessoas querem dizer. E, se isso é um problema na idade adulta, a solução pode estar em ensinar essas duas habilidades lá no início, no Ensino Básico.

Letrado em Língua Portuguesa e também na linguagem única que se fala na internet, o professor Noslem Borges produz aulas em vídeo para o YouTube, em um canal que já tem mais de quatro milhões de inscritos em que ele fala principalmente dos desafios e curiosidades do idioma nacional. “Compreender um texto é lê-lo e entender a mensagem. Diz respeito apenas ao que está dentro do texto, não tem nada fora dele. Ou seja, ler um texto e compreender o que ele está dizendo, qual é a ideia central e os principais tópicos”, explica. Por outro lado, continua ele, interpretar um texto é quando, a partir dele, o leitor pode chegar a outras referências, deduções ou inferências. “Para compreender, você se prende ao texto e, para interpretar, você precisa extrapolar o texto”, resume.

Todo esse processo, no entanto, que passa pela compreensão e pela interpretação, começa muito antes, no saber ler o texto. E a origem da capacidade de ler corretamente um texto reside no início da vida escolar, no processo de alfabetização. O Brasil, especificamente, ainda enfrenta muitas dificuldades para alfabetizar seus estudantes na idade correta. Os motivos são muitos, mas é justamente na alfabetização que o problema da falta da capacidade de interpretar textos poderia ser corrigido. Para a coordenadora pedagógica da Aprende Brasil Educação, Angela Biscouto, “interpretação de texto se aprende no Ensino Básico. É nessa fase que temos de ensinar as crianças a ler com um olhar crítico sobre os conteúdos que são apresentados a elas”, afirma. As muitas intercorrências de comunicação enfrentadas pelos adultos são, então, uma falha que poderia ser evitada se houvesse um foco cuidadoso ao ensinar leitura, compreensão e interpretação de texto junto às crianças.

Interpretação também passa pelo encantamento

Aprender a interpretar textos, no entanto, não é uma questão puramente técnica. Lê e interpreta bem qualquer pessoa que se interessa pelo que está lendo, lembra Borges. Esse processo, então, passa também por encantar-se pela leitura. “Precisamos trazer para as crianças coisas que sejam do mundo delas. Textos com temáticas voltadas para a idade de cada uma, o texto de um desenho, um filme, uma série que seja do interesse delas. Assim, elas nem percebem que estão trabalhando o olhar crítico a partir desses elementos”, detalha. Assim, pouco a pouco, os pequenos vão ampliando a própria capacidade de ler e interpretar os conteúdos.

Angela lembra, ainda, que, quanto mais uma pessoa faz leituras com sentido e significado, maior será a habilidade que ela tem para interpretar o que está lendo. “Se apropriar da leitura com sentido é importante porque é ela que vai levar o estudante a buscar por outras leituras. E, quanto mais ele lê, mais repertório terá para estabelecer relações, ampliar e transbordar sobre os textos que lê. Isso não diz respeito apenas ao texto escrito, mas a gráficos, tabelas, infográficos, obras de arte, enfim, toda a variedade de gêneros presentes em nosso cotidiano”, destaca. Essa habilidade também é fundamental para que, no futuro, as crianças de hoje possam ter bons resultados em avaliações como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e os vestibulares, provas tradicionalmente cheias de questões interpretativas.

O que oferecer para iniciar as crianças no mundo da interpretação de texto?

De acordo com o professor e youtuber Noslem Borges, saber escolher os textos para oferecer às crianças é um bom começo para quem quer contribuir com o processo de ensinar a gostar de ler e, ao mesmo tempo, estimular a interpretação de texto. “Trazer Machado de Assis para uma criança de 11 anos é complicado, mas posso pegar um texto que tenha temáticas parecidas às do Machado para que, lá na frente, ela possa gostar do Machado”, pontua. O mesmo se aplica para outros autores clássicos, como Shakespeare. Uma das obras que ele indica é “A Culpa das Estrelas”, de John Green. O professor aconselha a ler o livro, depois ver o filme e chamar discussões sobre as duas obras, descobrir as diferenças entre o livro e o filme, enfim, falar sobre o que está contido em ambas.

Depois, pode-se trabalhar “Romeu e Julieta”, de Shakespeare, “porque, no fim das contas, A Culpa das Estrelas é uma releitura de Romeu e Julieta, só que nos tempos modernos. Costumo escolher materiais que sejam assim, livros atuais e clássicos, para as pessoas poderem fazer esse paralelo com o outro e ver que a temática, no fim das contas, é a mesma. Muda a linguagem? Muda. Mas você tem o mesmo tema e a mesma discussão ali”, complementa. Assim, mergulhando de verdade em cada obra, a criança vai construindo seu gosto pela leitura e sua capacidade interpretativa. “Somos permeados de texto o tempo todo. Se não soubermos ler e compreender os textos à nossa volta, teremos uma compreensão menor do mundo que vivemos. Quanto mais eu compreendo os textos, mais eu compreendo o mundo que eu vivo”, finaliza o especialista.

Noslem Borges é o convidado do episódio 59 do podcast PodAprender, produzido pela Aprende Brasil Educação, cujo tema é “Como ensinar interpretação e compreensão de texto?”. Todos os episódios do PodAprender estão disponíveis gratuitamente no site do Sistema de Ensino Aprende Brasil (sistemaaprendebrasil.com.br), nas plataformas Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e nos principais agregadores de podcasts do Brasil.

By Mirella Pasqual

Sou jornalista formada pela Universidade Positivo. Sou mãe do Benício e de três vira-latas, o Raj, o Thor e a Mia. Minha coluna fala sobre moda, empreendedorismo e saúde! Sejam muito bem-vindos 😊

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *