Especialista fala sobre a importância e o jeito certo de lavar as mãos

Medida simples previne doenças e protege a saúde; Dia Mundial da Higiene das Mãos é celebrado em 5 de maio

A higienização das mãos é um ato simples e fundamental para prevenir doenças como gripes, resfriados, conjuntivites e hepatites. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), as diarréias poderiam ser evitadas e reduzidas em até 40% se todas as pessoas lavassem adequadamente as mãos.

Com a pandemia da Covid-19, essa atitude se tornou ainda mais importante para evitar a contaminação e a proliferação do Coronavírus. Apesar de ser uma medida extremamente básica, esse cuidado deve se tornar um hábito. Por isso, em 5 de maio, todos os países celebram o Dia Mundial da Higiene das Mãos.

Qual é o jeito certo de lavar as mãos?

O termo “lavagem das mãos” foi substituído por “higienização das mãos” devido à maior abrangência deste procedimento, que engloba desde a higienização simples até a antissepsia cirúrgica. Por isso, existe o jeito certo e os cuidados necessários para essa medida individual.

“O primeiro passo é umedecer as mãos com água limpa e corrente. Depois, ensaboe as mãos esfregando-as uma na outra, ensaboe as costas das mãos, entre os dedos e debaixo das unhas. Esfregue suas mãos durante pelo menos 20 segundos. Em seguida, enxágue suas mãos em água limpa e corrente. Por fim, seque em uma toalha limpa ou utilize ar quente”, explica o biomédico Thiago Henrique Daniel do Nascimento, delegado do Conselho Regional de Biomedicina do Paraná 6ª Região (CRBM6), da regional de Londrina.

Onde pode haver contaminação?

A pele é um possível reservatório de diversos microrganismos que podem se transferir de uma superfície para outra, por meio de contato direto ou indireto. Além disso, o suor, a oleosidade, os pelos e as células descamativas também ajudam no contágio.

Numa residência, por exemplo, é comum encontrar bactérias e sujeira em lugares que passam despercebidos como a porta da geladeira, o interruptor de energia, maçanetas de portas, os controles remotos, aparelhos celulares, computadores, notebooks, teclados, na pia da cozinha, no vaso sanitário e também nas toalhas de banho e panos de limpeza. Em contato com a pele, eles potencializam a contaminação.

Quando devo higienizar as mãos?

Para evitar infecções, a recomendação é higienizar as mãos frequentemente antes, durante e depois de preparar a comida.

“Esse cuidado também deve ser feito antes e depois de comer, antes e depois de cuidar de alguém que está com vômito ou diarreia, antes e depois de tratar um corte ou ferida”, alerta Nascimento, que é mestre em Patologia Experimental.

O biomédico também destaca que é preciso fazer a higienização das mãos depois de mudar fraldas, de assoar o nariz, tossir ou espirrar, de manusear comida ou petiscos para animais de estimação, de tocar em lixo, em superfícies ou em objetos contaminados.

Vale para todos

Vale destacar que os cuidados com a higienização das mãos são fundamentais para os profissionais da saúde, sendo recomendada para esse público a lavagem sempre antes e após ter contato com um paciente, antes de realizar procedimentos e após se expor a fluidos corporais.

Essas medidas são essenciais para evitar que o paciente seja contaminado por micro-organismos provenientes de outras pessoas e também para proteger os profissionais da saúde de possíveis doenças. A prática é tão importante que foi adotada pela OMS como uma bandeira de combate à infecção hospitalar.

“O simples ato de lavar as mãos com água e sabão ou higienizá-las com álcool em gel é uma medida eficaz para evitar a propagação de microrganismos, incluindo aqueles germes resistentes a antibióticos”, enfatiza Nascimento.

Como ocorre a transmissão de germes

Os germes são microorganismos que causam doenças. Eles se propagam por meio de secreções, em superfícies, na água e em alimentos contaminados.

A transmissão pode acontecer ao se tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos sujas; ao reparar ou ingerir alimentos e bebidas sem ter lavado as mãos; ao se tocar numa superfície ou em objetos sujos e contaminados; ao assoar o nariz, tossir ou espirrar e usar as mãos como anteparo e depois toca nas mãos de outras pessoas ou em objetos comuns.

Segundo o representante do CRBM6 em Londrina, podemos pensar na higienização das mãos como escovar os dentes. “Assim como escovamos os dentes diariamente para evitar cáries e doenças bucais, devemos higienizar as mãos com frequência para evitar a propagação de doenças e infecções. É importante que essa prática se torne um hábito cada vez mais presente em nosso cotidiano”, complementa Thiago Henrique Daniel do Nascimento.

By Mirella Pasqual

Sou jornalista formada pela Universidade Positivo. Sou mãe do Benício e de três vira-latas, o Raj, o Thor e a Mia. Minha coluna fala sobre moda, empreendedorismo e saúde! Sejam muito bem-vindos 😊

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *