Desejos para o verão: corpo bonito, pele radiante

Gordura abdominal é a maior queixa nesta época do ano; Veja quais são os procedimentos mais procurados nas clínicas de estética e os cuidados antes de se expor ao sol

Com a chegada do verão, a busca por procedimentos estéticos movimenta as clínicas e consultórios de beleza. Grande parte do público deseja ter corpos mais bonitos e pele radiante para que o bronzeado seja uniforme e duradouro. Mas nem sempre as pessoas realizam o procedimento correto para o seu organismo. Ou então, não seguem as orientações dadas, o que pode levar a um resultado longe do desejado.

Conforme a fisioterapeuta e professora Amanda Helena Lima, coordenadora do curso de Estética do Centro Universitário Integrado de Campo Mourão (PR), a maior reclamação nesta época é a gordura abdominal. “As pessoas buscam na estética a redução de medidas, a eliminação de pelos e celulite para ficarem bonitas dentro das roupas de festa e de praia”.

Uma das técnicas mais usadas para isso é a criolipólise, que é a lipo sem corte e ajuda a reduzir medidas. “É um procedimento que ‘mata’ as células de gordura. É o único procedimento que não é invasivo e tem um resultado muito efetivo. Pode ser feito em qualquer região do corpo, como abdômen, cintura, costas, braços”, explica Amanda.

Mas ela alerta que, para quem quer ficar bonito para o verão, por exemplo, já precisaria estar “com o pé” dentro da clínica de estética, visto que alguns tratamentos demoram 15, 20 dias para começar a fazer efeito.

“Tem paciente que fica o ano inteiro comendo mal, sem fazer atividade física e no verão quer estar com o corpo impecável. Nem sempre a gente consegue um resultado rápido. Ideal é ao longo do ano ir fazendo a manutenção. Por outro lado, há pessoas que conseguem resultados maravilhosos em 20 dias. Cada corpo responde de forma diferente”, analisa a professora.

Harmonização do corpo

Além da criolipólise, outro procedimento que está na moda é a harmonização corporal. Nela, o profissional analisa os objetivos do paciente e faz um roteiro de tratamento personalizado. Algumas pessoas desejam perder medidas e deixar o corpo mais definido. Outras já estão magras e querem apenas eliminar a flacidez, gordura bem localizada, realçar ou reduzir o glúteo, a barriga, por exemplo.

Várias técnicas podem ser usadas, como criolipólise para eliminar gordura, radiofrequência para diminuir flacidez, enzimas de alta definição para reduzir ou aumentar o tamanho de certas partes do corpo. Em geral, a harmonização corporal é feita em sessões com duas horas de duração e intervalos de uma semana.

Além de todas essas técnicas, há outra clássica: a depilação a laser para eliminação de pelos. Amanda explica que, antigamente, esse procedimento e a lipo sem corte só podiam ser feitos no inverno. O laser “queimava”, causava uma “crosta na pele”, uma casquinha, parecida com um ferimento e que caía depois. Mas nos primeiros dias, deixava a pele muito sensível e sujeita a queimaduras e manchas se exposta ao sol. A criolipólise também deixava marcas na pele, por ser feita por sucção.

“Hoje o laser tem ponteiras resfriadas, que eliminam pelos, mas não deixam a pele sensível como antes. Os equipamentos e técnicas avançaram muito e é possível eliminar pelos ou fazer a lipo sem corte em qualquer época do ano”, comemora Amanda.

Medicamentos x criolipólise

Um alerta feito pela professora é em relação a fazer lipo sem corte e tomar bebidas alcoólicas e medicamentos, principalmente os anti-inflamatórios e os corticoides.

“Às vezes acontece de algum paciente da criolipólise dizer que o tratamento não surtiu o efeito desejado. Mas aí a gente descobre que logo em seguida ele viajou ou foi a uma festa, bebeu e comeu muito. Claro, recuperou o que perdeu com o tratamento que ainda está em andamento. Ou então, há pessoas que omitem do profissional que estão usando algum medicamento. A criolipólise cria um processo inflamatório no corpo, para a eliminação da gordura. Se a pessoa usar antibiótico ou anti-inflamatório, o remédio vai combater a ação do procedimento estético. E acontece, a gente descobre depois que o paciente omitiu isso na hora da consulta, de dizer que não estava usando nenhum medicamento. Tem que seguir as orientações”, alerta a profissional.

Mensalmente, a pessoa pode gastar em torno de R$ 500 num tratamento estético. Se faz a manutenção ao longo dos meses, isso pode custar em torno de R$ 6 mil ao fim do ano ou bem mais que isso.

“As redes sociais prometem muitos milagres, tratamentos com efeito ‘Cinderela’, que duram algumas horas ou dias. Busque profissionais qualificados, pesquise a formação dele, veja se tem registro nos órgãos competentes, se tem as devidas autorizações de trabalho, peça indicação a amigos. E se o preço de um procedimento custa R$ 400, mas está sendo oferecido a R$ 150, desconfie. Pergunte, pesquise em outras clínicas”, aconselha a professora Amanda Helena Lima.

Sobre o Centro Universitário Integrado

Localizado em Campo Mourão (PR), o Centro Universitário Integrado oferece, há mais de 25 anos, ensino superior de excelência reconhecido pelo MEC com nota máxima (5) no Conceito Institucional. Preocupado com o que o mercado necessita, busca ofertar um ensino de qualidade voltado às competências que precisam ser desenvolvidas por todos os profissionais.

Para isso, conta com infraestrutura moderna, laboratórios com tecnologia de ponta, metodologias de ensino inovadoras e corpo docente com forte experiência acadêmica e vivência prática.

Atualmente, o Integrado oferece mais de 55 cursos de graduação presencial, semipresencial e a distância, incluindo Direito, Medicina e Odontologia e mais de 100 cursos de pós-graduação em diversas áreas do conhecimento.

By Mirella Pasqual

Sou jornalista formada pela Universidade Positivo. Sou mãe do Benício e de três vira-latas, o Raj, o Thor e a Mia. Minha coluna fala sobre moda, empreendedorismo e saúde! Sejam muito bem-vindos 😊

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *