Associação de condomínios alerta sobre os cuidados com a decoração natalina

Enfeites devem seguir as normas prevista no regimento interno ou ter validação em assembleia; veja como evitar riscos elétricos

Com a proximidade do Natal, começam os enfeites nas residências com guirlandas, pinheirinhos repletos de estrelas, sinos, anjinhos, bolinhas coloridas, coroa do advento, luzes pisca-pisca e uma infinidade de adornos.

Mas quem reside em condomínios deve ficar atento sobre as regras do ambiente coletivo que envolve as áreas privadas e as áreas comuns, pois o cuidado é para não infringir as normas e nem para incomodar os vizinhos.

“Não existe uma previsão legal que permita ou não a decoração de Natal nos condomínios. Cabe ao regimento interno prever as possibilidades cabíveis. Caso o regimento seja omisso quanto ao assunto, nossa recomendação é que uma assembleia seja realizada para estabelecer as regras”, explica Claudio Marcelo Baiak, presidente da Associação das Administradoras de Condomínios do Estado do Paraná (AACEP), entidade que representa mais de 2.700 estabelecimentos no estado, onde vivem mais de 740 mil paranaenses.

Aprovação de gastos

Durante a assembleia, também é importante ouvir as opiniões dos condôminos sobre o estilo da decoração, quais as áreas serão enfeitadas e decidir os gastos, que devem estar previstos no orçamento anual.

Com a verba aprovada, os moradores devem escolher entre comprar enfeites novos, reaproveitar a decoração de anos anteriores ou até mesmo alugar os adereços.

Enfeites nas áreas comuns

Outro cuidado envolve os locais que vão receber os enfeites. Os corredores do condomínio são considerados áreas comuns e por isso devem ter a mesma estética e decoração predefinida do empreendimento, incluindo a porta das unidades.

É importante lembrar que esses enfeites não podem bloquear a passagem de qualquer pessoa e nem prejudicar a mobilidade de pessoas com deficiências.

“Alguns moradores gostam, outros não. É mais seguro definir – em regimento interno ou por assembleia – o que é permitido e estabelecer um padrão. Se a maioria aprovar que só pode colocar luz verde na varanda, guirlanda vermelha na porta, isso tem que ser seguido”, ressalta Baiak.

Cuidados com a instalação elétrica

Para alertar a população sobre os riscos de acidentes elétricos, a AACEP repassa algumas dicas para evitar que a iluminação natalina seja a causa de acidentes. Veja abaixo:

• Escolha com cuidado os cordões de luz, mangueiras e pisca-piscas. Eles devem ser de boa procedência e certificados pelos institutos controladores de qualidade,

• Antes de instalar os artefatos, especialmente os já utilizados anteriormente, verifique sua condição geral e preste atenção às emendas e à película plástica isolante. Emendas e conexões devem estar protegidas com fita isolante de boa qualidade,

• Assegure-se de que a capacidade e a resistência dos condutores – tanto da fonte de energia quanto dos enfeites em si, sejam compatíveis com a carga elétrica requerida – observando o correto dimensionamento de cabos e fios,

• Confirme se a tensão das lâmpadas é compatível com a tensão da rede,

• Só ligue o equipamento na tomada após a conclusão da montagem, para evitar acidentes por falhas no isolamento de fios ou nas emendas,

• Nunca toque na fiação nem substitua lâmpadas queimadas com o aparelho ligado à fonte de energia,

• Na ornamentação externa (como fachadas, jardins, varandas e grades), o cuidado deve ser redobrado. A umidade e a presença de água são fatores que elevam bastante a probabilidade de acidentes,

• Não instale objetos decorativos nas proximidades da rede pública de energia e jamais use os postes para ornamentação,

• Não faça nenhuma instalação se você não tem conhecimento prévio de segurança elétrica. O correto é contratar um profissional habilitado para orientá-lo na aquisição de dispositivos e para realizar a instalação,

• Não deixe os fios desencapados e espalhados pelo chão,

• Não deixe que as crianças tenham contato com as luzes e muito menos com a fiação,

• Não deixe o pisca-pisca ligado quando não tiver ninguém em casa,

• Não deixe as luzes em um local que o pet, principalmente gato, possa se enroscar ou puxar,

• Não emende os fios e não use um T (benjamim) para ligar o pisca-pisca e outros eletrodomésticos juntos,

• Preste atenção onde as luzinhas encostam, pois elas podem ficar quentes e iniciarem uma faísca de fogo.

Sobre a AACEP

A Associação das Administradoras de Condomínios do Estado do Paraná (AACEP) representa cerca de 2.700 condomínios, onde vivem mais de 740 mil paranaenses.

A entidade tem filiados em Curitiba, Londrina, Ponta Grossa, Campo Largo, Colombo, Guarapuava, Francisco Beltrão, Pato Branco e atua para levar informações e profissionalismo à gestão condominial.

A associação busca novas administradoras em Londrina e nas cidades de médio porte do Estado.

By Mirella Pasqual

Sou jornalista formada pela Universidade Positivo. Sou mãe do Benício e de três vira-latas, o Raj, o Thor e a Mia. Minha coluna fala sobre moda, empreendedorismo e saúde! Sejam muito bem-vindos 😊

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *